Manifesto Criptoartista – In Portuguese

September 28, 2020 Off By ninoarteiro
Manifesto Criptoartista – In Portuguese

Uma versão puramente peer-to-peer do dinheiro eletrônico permitiria que pagamentos on-line fossem enviados diretamente de uma parte para outra sem passar por uma instituição financeira… Começa assim, há 10 anos atrás, o nascimento do rato de esgoto ingovernável do mundo do dinheiro, o bitcoin. Junto dele vem a tecnologia de mil e uma utilidades, a blockchain, mudando o curso normal de diversas áreas da sociedade.

No mundo da arte, estamos vendo grandes transformações acontecendo neste exato momento. Os códigos criando arte? Onde isso vai parar? Agora, as obras de arte possuem até DNA! A fronteira entre a arte e a tecnologia está cada vez mais tênue, praticamente virando uma coisa só. A arte vai ser cada vez mais criada, apresentada e comercializada com a utilização da tecnologia. Com a blockchain, o comércio de arte, principalmente digital, vai crescer rapidamente, permitindo ao artista e à artista atingir um público global.

Já estava na hora de chacoalhar um pouco as estruturas desse mundo elitista e imutável da arte. O mundo da arte é um dinossauro caduco que teima em não mudar. Está na hora de abalar esse mundo! E a blockchain será o terremoto! O vislumbre nos leva a ver: a tokenização da arte (obras de arte físicas sendo vendidas em frações na forma de tokens e diretamente de uma blockchain); a eliminação de intermediári@s; o patrocínio de projetos artísticos através de ICOs; o aumento da liquidez com a abertura para um público global; os colecionáveis digitais; o uso do token como suporte de arte para a transmissão de ideias; a música sendo comercializada via blockchain; o uso de moeda própria pel@ artista como forma de pagamento; o recebimento de pagamentos através de contratos inteligentes, em que o dinheiro será dividido e depositado de forma automática nas contas das pessoas envolvidas em um trabalho artístico.

E o vislumbre não para…. Vemos também, com a invenção da blockchain, o surgimento da garantia segura da procedência e da autenticidade da obra de arte; o surgimento de artistas anônim@s em países com ditadura; as plataformas p2p de streaming sem propagandas, com mais liberdade e pagamentos mais justos; as redes sociais descentralizadas e com mais privacidade, nas quais artistas receberão por curtidas, comentários e compartilhamentos de suas postagens; as galerias descentralizadas geridas pela própria comunidade participante, com visibilidade democrática e baseada na ajuda-mútua em que NADA será vinculado ao poder econômico; as rifas virtuais de obras de arte… Isso tudo é o que se pode ver e com certeza é apenas uma parcela pequenina do que já está acontecendo e irá acontecer cada vez mais.

Mas como nem tudo são flores, e tendo uma dose sábia de ceticismo para não criarmos ilusões mentais, é preciso um pouco de cautela para @ criptoartista não cair nas armadilhas de quem domina o sistema que está por ruir ou por quem quer se aproveitar da ruína do sistema atual e continuar com a exploração e o controle sobre @s artistas. A palavra chave para @ criptoartista é AUTONOMIA! Buscar ao máximo a autonomia. E para conseguir essa tão almejada autonomia, @ criptoartista deverá aprender um mínimo de programação para criar seus próprios contratos inteligentes e sua própria blockchain, e não cair no erro de vender suas obras de arte em exchanges centralizadas, que serão as novas galerias e casas de leilão do mundo da criptoarte, ou seja, serão as novas instituições exploradoras d@s artistas; AUTONOMIA! AUTONOMIA é o grito de ordem!

Por outro lado, serão muito bem-vindas as galerias realmente descentralizadas, nas quais NADA será vinculado ao PODER ECONÔMICO. As DECISÕES serão tomadas por TODAS as pessoas participantes da plataforma, através de um sistema de discussão intensa seguida de VOTAÇÃO VIA BLOCKCHAIN, sendo que o voto de cada pessoa terá o MESMO PESO. Ninguém terá mais poder político por ter mais dinheiro. O LUCRO produzido na plataforma será distribuído de forma IGUALITÁRIA, sem criar hierarquias e competição entre as pessoas da comunidade. O lema aqui será COOPERAÇÃO, AJUDA-MÚTUA! Uma pessoa ajuda a outra e a comunidade se fortalece. Como nos ensinou Kropotkin, a ajuda-mútua é a principal força a garantir a sobrevivência de um grupo como um todo, e não a competição. Estas galerias realmente descentralizadas também darão, através de ALGORITMOS JUSTOS, uma VISIBILIDADE mais DEMOCRÁTICA às obras de arte d@s criptoartistas, não permitindo a possibilidade de alguém ter mais visibilidade do que outra pessoa por possuir mais dinheiro para pagar. Sendo assim, com o uso da tecnologia e com essa nova maneira de interpretar e agir sobre a realidade, essas galerias criarão uma NOVA FORMA de RELAÇÃO DE TRABALHO, em que a figura do PATRÃO virará PÓ e a cooperação e a ajuda-mútua tomarão o lugar da competição.

A criptoarte está apenas começando, ainda é um bebê. @s criptoartistas têm um longo caminho a percorrer, criando novas formas de arte e novos conceitos com criatividade e coragem. Por exemplo, no mundo das criptomoedas, temos o white paper, artigo que explica o projeto da criptomoeda detalhadamente. No mundo das criptoartes, teremos o colored paper, artigo que explicará de forma geral a ideia de uma criptoarte. E novos conceitos, novas ideias hão de surgir… E, para finalizar, é preciso dizer: da mesma maneira que um@ criptoanarquista diz: foda-se os bancos! Um@ criptoartista dirá: foda-se as galerias! Foda-se as casas de leilão!

Nino Arteiro 31/10/2018

Lembre-se SEMPRE: a arte não é SÓ uma mercadoria, ela é MUITO MAIS!

Manifesto original publicado por Nino Arteiro no dia 31/10/2018 em: https://medium.com/@ninoarteiro/manifesto-criptoartista-6ed4069749d2

>>>

Manifesto Criptoartista no formato audiovisual